a minha família | my family

sabemos que estão a crescer…

by

… quando lhes pedimos que dêm uma arrumação no quarto e vejam se há por lá algo que já não usem, que já não seja preciso.

A Carolina (12 anos) escolheu estes livros, porque já não os lê!

Ela agora está encantada com as Gémeas no Colégio das 4 Torres, e outros derivados da Enid Blyton… (ai, que saudades de devorar essa biblioteca!)

Se conhecerem quem os queira, se os quiserem, ou se souberem para onde os posso enviar, digam-me…
– deixem um comentário aqui no blog, ou
– mandem-me por mail o vosso endereço (ou endereço da instituição para onde os posso enviar).

Obrigada

Santa Secret’s Gifts :: Amigo Mistério

by

I know I’m late with my commitment of showing you my weeks’ work, tough I had my reasons… not happy ones, unfortunately.
PP’s Dad is in hospital for almost a month now, suffering from an acute pancriatitis. When we thought he was recovering, suddenly his disease got worse and he had to receive surgery, last monday. He is slowly recovering, but we’re still worried considered his age and weackness condition for the last days.

So…
This week, I made 3 zipper pouches.
The first one was and custom order sent by a repeat customer, who fancies my items. It’s always pleasant to make a purse for someone, who compliments your work and comes back for more, isn’t it?

The other two are available at my shop!
They make the perfect Santa Secret’s Office Gift, it can be used as a toothbrush and toothpaste case.
It is also a cute gift for your kids’ teacher, what do you think? It will be sent Christmas wrapped, if you like.

Eu sei que me atrasei com o compromisso de vos mostrar os trabalhos da semana, mas tive as minhas razões… infelizmente, não são muito agradáveis.
O Pai do PP está no hospital há quase um mês, com uma pancreatite aguda. Quando parecia estar a melhorar, a doença agravou-se e foi operado de urgência, na segunda-feira. Está a recuperar lentamente, mas nós continuamos preocupados pela idade que tem, e pelo estado fraco em que se encontrava nos últimos dias.

Ora bem…
Esta semana fiz 3 bolsas com fecho de correr.
A primeira foi uma encomenda de uma ‘freguesa’ (gosto desta expressão, usada por um cliente da minha vida de técnica bancária) que ficou satisfeita com a primeira compra e voltou para mais. É sempre muito estimulante fazer uma bolsa para quem aprecia e elogia o nosso trabalho, não é?

As outras duas estão disponíveis na loja!
São excelentes ideias para a troca de presentes entre colegas, ou amigo mistério no escritório (nós costumamos fazer, e vocês?). Pode ser usada como bolsa de higiene, para guardar a escova e pasta de dentes, no seu local de trabalho. Também têm a medida ideal para ser usada como estojo escolar, o que poderá ser uma oferta simpática à professora dos vossos filhos, o que vos parece? Pode ser enviada já embrulhada e prontinha a ser entregue no Natal, se preferirem.

Feliz Dia da Mãe

by

Hoje não vou ser original, hoje vou usar as palavras da Isabel Stilwell, porque concordo em absoluto com todas elas. 
Como alguns de vós sabem, já não tenho a minha Mãe, há muitos anos, quase 20. E ainda hoje faço coisas a pensar na forma como ela as fazias, ou ela me ensinou a fazê-las, ou ainda como ela queria que eu as fizesse.
Como Mãe, de duas filhas, e Mãe-drasta de outros dois, também eu sou chata, prego insuportáveis sermões, mando para a cama a meio de episódios emocionantes de séries televisivas e sou forreta!
Mas talvez seja por ser assim, que estou aqui sentada a escrever, enquanto as 4 crianças cá de casa estão  a preparar-me uma surpresa na cozinha e já me mandaram voltar a ir para a cama, “senão a surpresa não resulta, Mãe…!”

40!!!

by

40!!!
Dia de receber mimos da família e dos amigos… um ramo de tulipas enviadas pelo irmão, trazidas em mão pelo Pai, um forte abraço e muitos beijinhos dados pelos filhos e não filhos e por quem me quer bem. Até o Hotel teve a gentileza de me oferecer champanhe acompanhado por um bonito brownie, bem decorado com morangos… muitos telefonemas e mensagens amigas.

São 40, sim, Sra! e que ninguém desminta :)))

Novo Ano, novos…

by

… hábitos?

Não sei, ainda é cedo para afirmações fortes…
Desde que o ano começou tenho tido uns serões familiares muito agradáveis, por vezes a lêr daquelas histórias que mexem comigo – que me divertem, ao imaginar o “Grande” Fernando Pessoa, assustado com a personalidade e magnitude da poetisa Fernanda de Castro, e que me fazem correr as lágrimas não de tristeza, mas de saudade pelas semelhanças de alguns quadros familiares retratados pela escritora (não sou neta de Viscondes, não se assustem, mas consigo rever esse ambiente de discussão literária que também era muito vivido pela minha Mãe), ou admiração pela forma como a escritora ultrapassa, ou tenta, os momentos espinhosos que a vida lhe deu.
Já tricotei mais umas carreiras de um mini-colete que o Mateus há-de ter, se eu algum dia o acabar a tempo das medidas lhe servirem… enquanto descanso dos dias de trabalho, (que têm sido passados a ouvir queixas da crise e que este ano não há alegrias bla-bla-blá – será caso, como dizia a minha avó, que não consegue ver as coisas por outro prisma?! aproveitem a família, o convívio entre amigos – há melhor que umas boas gargalhadas?!), dizia eu, enquanto descanso dos dias de trabalho, embalada pelas series da RTP2.
Cortei tecidos para terminar alguns presentes que serão entregues no “Chá de Natal” que a nossa amiga Teresa e família preparam anualmente para os amigos de infância do marido, um grupo bem animado do qual o PP faz parte e que muito me acarinharam quando passei a fazer parte dessa “família”.
E joguei ao Loto, ou ao Bingo, com as 3 miúdas, fizemos Linha (uma bolacha para as vencedoras, eu ganhei uma) e Bingo (ganharam um chocolate, elas porque eu não fiz nenhum…!!!), após o jantar. E ouvi-as rir só porque sim, ou porque eu dizia os nrs muito depressa e com uma voz de profissional da matéria: Quarenta e um – quatro – um! Vinte e dois – dois patinhos!!! Trinta e três – diga lá outra vez?
E escrevi… nalguns blogs onde me sinto bem…, a alguns amigos que vão explorar novos mundos…, no meu caderninho de pensamentos, apontamentos, esquecimentos, envolvimentos e outros momentos… e descobri que faz agora um ano tinha mais 2,300kg do que tenho agora! O Projecto Felicidade não foi sempre levado a sério, mas consegui terminar o ano com menos peso (a diferença ainda podia ser maior, não fossem a fatias douradas que teimam em não me largar!).
Já percebi o truque para estes serões: planear, ponderar e fazer tudo em pequenas doses!
Um Bom Ano para Vocês e amanhã é dia de Reis ( é o dia do meu apelido, e como diz o meu Pai, e na minha terra, é o dia dos Homens Honrados!)
Se cá vierem, são capazes de comer uma fatia de bolo-rei!

Um elefante em Londres

by

O elefante gosta imenso da sua nova casa, já arranjou amigos para conversar enquanto o meu sobrinho continua virado exclusivamente para o leitinho da mamã. Neste momento as suas preocupações são apenas a da alimentação, sonos e quem é que me muda a fralda?!
Quando ele crescer, decerto serão grandes amigos… de confidências e de brincadeiras. É provável que o elefante venha a mudar de cor, talvez até ganhe umas nódoas de pápa ou de fruta…
 
Até lá o elefante promete ficar a tomar conta do Ali-Babá e os seus 40 ladrões transformados em cestos e em..

… protectores de berços!

Muito obrigada pelos mimos que deixaram no post anterior!

É a lei da vida…

by


é o que dizem os mais velhos – primeiro vão os pais, depois os filhos.
Uns morrem e outros nascem… é a Lei da Vida!
E como em todas as Leis, há sempre excepções…
Quem não conhece quem tenha ido antes dos Pais?! Todos nós conhecemos
E como em todas as Leis há sempre quem a ache injusta – EU acho!!!

Há 3 dias atrás, o Pai de um grande amigo deixou-nos. Daqueles amigos, que mesmo estando muito tempo sem nos encontrarmos ou conversarmos, sei que a nossa amizade jamais será abalada! Por isso, é que me está a custar tanto estar longe num momento como este, por isso é que ainda não arranjei coragem para falar com ele… pedi ao meu Pai, que me representasse na despedida… e ele foi!
Apesar do meu Pai não ter assim tanto contacto com eles, como eu ou a minha Mãe tivémos, ele foi!
E ele sabe o quão importante foi, para mim, este acto dele… Ele foi!

Mas, ainda a propósito desta Lei… vai nascer alguém no próximo mês, o meu sobrinho… que embora ainda não tenha nome, porque a escolha está difícil (hehehe) já tem o quarto quase preparado!

A avó materna fez os cortinados, entre tantas outras coisas do enxoval, como manda a tradição, e eu fiz os protectores do berço e uma almofada. Os tecidos foram escolhidos pelos Pais, depois de eu os ter “entupido” com links das colecções de tecidos para criança, e o resultado é este!

 
As peças já chegaram a Londres e já as vi arrumadinhas no quarto, mas a foto que o meu irmão me mandou não está em condições de ser aparecer aqui, mas prometo que quando tiver uma com melhor qualidade, mostro.
Para compor o quarto ainda me falta terminar a outra almofada e uns cestos para guardar todos aqueles bens que fazem falta ter junto ao muda-fraldas.
E a Vida vai-se surpreender quando chegar mais um bébé!

Projecto Felicidade: Happiness Project

by

Mais um update deste Projecto em que me meti 🙂

Quanto ao peso, tal como previa, a preparação do exame médico da semana passada foi a principal responsável pela perda tão significativa que tive. (Para quem não leu aqui – eu perdi 1,200kg numa semana!).

Desta vez, fiquei-me pelas 100 gramitas – not bad, not bad at all (that’s just me thinking out loud).

A balança hoje mostrava, sem nenhuma simpatia por mim, posso acrescentar – 66kg! Certinhos!

Sem caminhadas, com alguns bolinhos secos à noite, no sofá, e uma ida ao Alentejo, acompanhada de cozido e regada com vinho tinto, não podia esperar perder peso, certo?

Quanto ao Alentejo, não vos mostro imagens porque sei que muitos não iam gostar…

Já disse que o meu Pai é caçador, não disse? Pois bem, Sábado foi dia de caça ao javali – apanharam 8! Posso-vos dizer que, na nossa arca frigorífica, já lá estão uns lombinhos e umas belas costeletas, que qualquer dia farão parte do menu.

Desculpem-me os/as mais impressionáveis, mas é uma realidade que sempre fez parte da minha vida e com a qual lido muito bem. Gosto de caça, do ritual, da preparação, de andar por lá à espera dos coelhos, acompanhada dos cães, viver aquele silêncio e de repente… ouve-se um tiro e alguém diz – É meu! Jó, Becker, Eddi, vai buscar!

Já não vou, como companhia do meu Pai, claro, há anos!

Mas voltando ao Projecto…

– continuo a prestar mais atenção à saúde, a beber mais água, a subir e descer escadas e a andar mais,

– a casa anda com menos lixo visual,

– o blog também sofrido alguns melhoramentos (coloquei um contador – que infelizmente só conta a partir de 10/01/2011, se alguém souber como se faz para contar desde o início, please, please, partilhe comigo),

– falta uma das tarefa destinadas a este mês que é – efectuar um trabalho complicado/aborrecido – eu até sei qual é…, mas começar é que ’tá quieta!

E até aposto que há-de haver alguém desse lado, que também tem este trabalhinho por fazer…

Passar as fotografias das crianças e algumas minhas, ainda dos tempos de secundária e faculdade, que estão guardada em envelopes e sacos, para lindos albuns de família :)!!!!

Quem é que tem tudo isto em dia?

Parabéns, Pai!

by

O meu Pai hoje faz anos! 68 anos!

Hoje não vivemos na mesma terra, nem sequer falamos todos os dias, às vezes nem sequer falamos todas as semanas… mas eu sei… e ele sabe… que gostamos muito um do outro!

O meu Pai é diferente dos outros pais que eu via em pequena, ele não estava sentado no sofá a lêr o jornal – o meu Pai vai à praça às compras, cozinha, passa a ferro, não há nada que ele não saiba fazer. E gosta das coisas feitas a tempo e horas, prepara tudo com grande antecedência.

O meu Pai tem vários hobbies – caça, pesca e golfe. Mas sua maior e mais antiga paixão é a caça. Lembro-me de ainda pequena gostar de estar perto dele quando enchia os cartuchos, com um balança com pesos pequeninos, chumbos, buchas e outros utensílios cujo nome não conheço. Alinhei muitas vezes com ele nas caçadas, cheguei a ir a Espanha no grupo dos caçadores. Gostava daquele ritual de acordar muito cedo, estar ao nascer do sol no silêncio do campo e ver os cães a “pararem” cada vez que sentiam um coelho.

Cheguei a pensar em tirar licença de caça, só para ter uma participação mais activa. Hoje penso que foi melhor não ter tirado, porque não tenho pontaria nenhuma, sabe Deus o que poderia ter acontecido.

Enquanto fui estudante universitária, vivia com ele em Lisboa e a minha Mãe estava em Portimão com o meu irmão. A família juntava-se ao fim-de-semana, nós descíamos ou eles subiam.

Nessa altura, fomos cúmplices de outras aventuras. Se ele era convidado para festas profissionais, eu também ia. Se havia bilhetes para ver o Benfica, lá ia eu também.
Chegámos a ir ao Porto os dois ver o Frank Sinatra!!!

Também tivemos as nossas turras, claro está, mas não fizeram mossa nenhuma.

Dele herdei muitas características:
ambos gostamos de um bom jogo de cartas,
de controlar os gastos,
de fazer viagens de carro quase sem falar uma palavra (momentos que faziam muita confusão à minha Mãe),
do Benfica e do Portimonense,
de alinhar com os amigos em qualquer patuscada,
de ir ao cinema,
de cães, especialmente cães de caça,
não gostamos de couves – nem do cheiro!,
de gente chata e curiosa como certas vizinhas que tivemos,
de esperar por gente que se atrasa sistematicamente.

Ah! E tanto um como outro temos sempre razão!

Parabéns, Pai!
Um beijinho grande

(O meu Pai a esta hora está a caminho de outra caçada – desta vez aos tordos em Serpa!)
Outra coisa! O cachecol é para ti!